sábado, 25 de maio de 2013

Roupas: como se agasalhar de verdade sem gastar horrores

Muita gente fica pensando como fazer para se agasalhar no frio do inverno europeu.
O problema é na rua, porque qualquer biboquinha da Europa tem aquecedor.
Toda solução para se agasalhar está num lugar só: Decatlhon. Se você não quer ir pra lá desfilar com roupinhas de marca, você vai se agasalhar muito bem gastando menos.

O que esquenta mesmo o corpo é o polare. Grava esse nome, brother. É um tipo de moleton que parece tecido de cobertor de nenem. Tem calça e blusa. Por cima você veste a calça jeans, tranquilo. O negócio esquenta a ponto de você ter que tirar quando entra nos lugares ou vai pegar avião ou trem.
A segunda pele, que fica bem grudada ao corpo, ajuda a reter o calor humano.
A Decathlon vende cachecol de polare também.
A jaqueta impermeável é indispensável para quem corre o risco de pegar neve e garoa.

Para os pés, compre umas meias que são mais grossas e vão até o meio da canela. Compre também um tênis impermeável, naquele estilo de montanha, Timberland. Não precisa comprar dessa marca que é bem mais cara.
Na Decathlon tem uns modelos legais por até um terço do preço de um Timberland.
O tênis impermeável é fundamental para quem não tem tempo de esperar o calçado secar. Fora isso, você vai perceber como ele é útil ao pisar na neve. Foi o que aconteceu com a gente em Praga, onde as ruas estavam tomadas de neve. Se estivéssemos com um tênis normal, íamos ficar com os pés úmidos e congelados.
Se você levar apenas um tênis pare economizar espaço na mala (como nós fizemos), deixe com talco perto do aquecedor do seu quarto à noite.

Luvas: obrigatórias. E aconselho que sejam impermeáveis também.
Touca: use ou tenha suas orelhas congeladas em poucos instantes.
Cachecol: ajuda a evitar uma dor de garganta.

Preços (em REAIS) pagos no segundo semestre de 2012 na Decathlon:

Blusas polare
mais grossa: 60
mais fina: 30

Jaqueta Impermeável: de 170 a 300. A minha era uma de 170 reais e resolveu legal. A de 300 é uma feminina com um polare removível por dentro. Esquenta até a alma.

Calça polare: 70

2 pares de meias grossas: 60

Tênis impermeável: de 150 a 200 mangos

Bota impermeável feminina: 150

Luva impermeável (e que esquenta bem): 40

Touca: 20 às segundas pele calça e blusa, esquecí os valores, mas acho que era 50 e 40 reais, respectivamente.

Quanto

Na postagem em que falo como economizar nas passagens http://europagastandopouco.blogspot.com.br/2013/05/passagens-como-economizar.html , eu falo de viajar com uma malinha pequena para não pagar despacho de bagagem nos aviões da Easy Jet e Ryan Air. Nós fomos em pleno inverno europeu e conseguimos nos virar bem apenas com a malinha que cada um levou.
Desconsidere nessa foto o escroto do meu irmão com essa touca de russo e essa papelada na mão (???) e veja lá o tamanho da mala que a Samira tá carregando. Difícil crer que dá pra encarar o inverno europeu apenas com ela, né? Mas, deu. Tudo isso pra não pagar os 30 euros no despacho da mala que vai no porão. Pra levar lá em cima não paga.

Como embarquei em Guarulhos:
duas calças jeans (uma no corpo e outra na mala)
dois polares blusa na mala
uma polare calça na mala
uma segunda pele calça na mala
uma segunda pele blusa na mala
duas jaquetas (uma no corpo e outra na mala)
quatro camisetas simples na mala e uma no corpo.
um tênis
dois pares de meias grossas
quatro pares de meias normais que usava por baixo das outras por higiene.

Quando cheguei à Europa, a mala ficou mais vazia, pois os polares e segundas pele estavam sempre vestidas.

Em outra postagem falo sobre como lavar roupas no Velho Continente.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Quantos dias em cada cidade?

Essa quantidade é pra quem vai sair do albergue 9h da manhã e vai passar o dia conhecendo a cidade até às 17h, 18h. Usando metrô e caminhando entre as atrações mais próximas.

Veja o post de como comprar ingressos antes e entrar direto nas atrações, evitando as longas filas http://europagastandopouco.blogspot.com.br/2013/05/ingressos-para-as-atracoes-como-evitar.html

Roma: 4 dias, incluindo visita ao Coliseu, Foro Romano Palatino e Museus do Vaticano, desde que você compre os ingressos pela internet e então não pegue fila. 
Arco de Constantino e Coliseu


 Florença: 1 dia sem museus, mas, visitando o Palácio Pitti. Se for entrar na Galeria, 2 dias.
Duomo


Pisa: uma manhã, ou menos que isso, até. É só a Piazza dei Miracoli e a Igreja Santa Maria della Spina. No caminho, a Piazza dei Cavallieri.
Piazza dei Miracoli


Barcelona: 3 dias. Incluindo o Camp Nou Experience, Park Güell, Castelo de Montjuic e Sagrada Família. 
Sagrada Família


Londres: 4 dias. Incluindo visita ao Churchill War Rooms, Madame Tussaud's e Greenwich. Se for visitar o Natural History Museum e a National Gallery, fique mais um dia.
Rio Tâmisa e Tower Bridge


Paris: 5 dias. Incluindo o Louvre e o Palácio de Versailles.
Torre Eiffel vista de Montmartre


Praga: 2 dias e já tá bom demais.
Staromestské Námestí


Berlim: 3 dias. Incluindo o Holocaust Memorial, DDR Museum e o Campo de Concentração de Sachsenhausen.
Unter den Linden e Branbenburger Tor

Ingressos para as atrações: como evitar filas

Quem quer conhecer várias cidades e o máximo de coisas nelas, não pode ficar perdendo tempo. Por isso, evitar filas nas atrações é fundamental. Em lugares como o Coliseu ou a Torre Eiffel, as filas são gigantes.
A dica é comprar os ingressos com antecedência pela internet.
Meu conselho: comprem mesmo os ingressos antes de ir. Quando virem as filas vão entender.
Chegando com o voucher da internet, você passa direto e já vai para a catraca.

Não esqueça de levar o cartão de crédito usado para comprar os ingressos. Sempre pedem.
Lugares que recomendo comprar ingressos com antecedência:

Roma e Vaticano:

Coliseu+Palatino+Foro Romano


Museus do Vaticano



Barcelona:

Estádio do Barcelona, Camp Nou Experience

Poble Espanyol


Londres
O ideal é comprar ingressos combinados, pois assim você paga menos no valor para visitar duas ou mais atrações. Compensa muito.

London Eye

Madamme Tussaud's


Paris

Torre Eiffel
Compre o ingresso para ir até o terceiro andar de elevador. Vale a pena.

Museu do Louvre

Palácio de Versailles



Transporte público sempre. Táxi nunca!

Mochileiro que se preze não sabe dizer se táxi é barato ou caro na Europa. Eu mesmo não peguei nenhum.
Andava de metrô, trem, bonde, ônibus e caminhava bastante. E acho que essa é a melhor maneira de se conhecer a Europa, pois assim você entra na rotina local, junto com a galera que está indo trabalhar ou voltando pra casa após um dia de trabalho. Isso sim é conhecer outras culturas e não ficar dentro de uma van ou de um táxi.

Metrô na Europa é uma coisa muito disseminada. Você sempre estará perto de alguma estação.
Compre sempre bilhetes com 10 viagens, pois saem bem mais baratos que comprar um por um.
ATENÇÃO! Não jogue seu bilhete fora quando entrar. Nas estações, vagões, ônibus e bondes tem fiscais pedindo pra ver os bilhetes. Quem estiver sem toma uma multa ardida.

Os bilhetes são comprados em máquinas. Você pode selecionar o idioma. Esqueça. Você não vai encontrar uma com português.
Máquina para compra de bilhetes no metrô de Barcelona.

Há também cartões próprios para turistas, que além de te dar viagens livres na rede de transporte público, dão bons descontos nas atrações da cidade, como museus e outros lugares que cobram ingresso. Esses cartões só valem a pena pra quem vai ficar no mínimo cinco dias usando o transporte público e pretende entrar nas atrações. O ideal é você fazer seus cálculos antes de comprar. Esse tipo de cartão várias cidades têm. São o London Pass, Paris Pass, Roma Pass, Welcome Card (Berlim), etc...

Ao final, vou postar mapas dos metrôs que tenho.

Algumas dicas das cidades:

Barcelona
Cidade com um transporte público perfeito. Tudo moderno e informatizado. Metrô pra todo lado, bonde (tram) integrado ao metrô. Nos finais de semana, o metrô tem horário estendido, sendo que de sábado pra domingo não fecha. Compre o ticket de 10 viagens. Pode ser usado por mais de uma pessoa. Cada vez que você coloca na catraca ela carimba a data e hora do início da viagem. Durante uma hora você pode usar ônibus, bonde (tram) e metrô.
Você vai inserir o bilhete na catraca, ela vai carimbar e você pega de volta. Ao lado, sai o número de passagens que ainda há no bilhete.
Apenas as principais estações têm guichê com funcionário atendendo. Na maioria, só máquinas.
Metrô de Barça

Londres
Além do London Pass, há o Oyster Card. Foi o que usamos e realmente é vantajoso. O valor da passagem dai bem mais barato. Você paga 5 libras por ele, que pode reembolsar ao devolver no dia de ir embora. Você pode adquirir em qualquer estação e até nos aeroportos. Você vai carregando conforme precisa. Os créditos não são reembolsáveis.
Em Londres o transporte público é dividido em zonas. pra andar na zona 1 é um valor. Pra ir da 1 pra 2 é um pouco mais e assim por diante.
Quando você for entrar no metrô, encoste o cartão no sensor da catraca. Na estação destino, enconste novamente o cartão na catraca da saída. Ele calcula o que você andou e debita, mostrando o saldo restante no visor.
Há o Travel Card. Viagens ilimitas. 7 dias = 47,60 libras.

Paris
O esquema aqui é comprar a cartela com 10 bilhetes de metrô. Custa 12,50. Se fosse comprar um por um, pagaria 1,70 cada.

Praga
As atrações turísticas são numa região que dá pra fazer toda a pé.
O que você tem que se preocupar é pegar o ônibus 119 no aeroporto para ir até Dejvicka. Lá pega o metrô para o centro histórico. O bilhete que você usou no ônibus já te permite usar o metrô. Compre no guichê que há no aeroporto.

Berlim
Não há catracas. O que há são totens amarelos. Valide o seu bilhete neles antes de entrar no trem ou metrô.  Não deixe de validar e não jogue o bilhete fora. Lembre-se da multa de fazer mochileiro chorar.



Alimentação: dicas importantes para não gastar muito

Regra número 1: NÃO COMA PRÓXIMO A PONTOS TURÍSTICOS.
Custa bem mais caro e você come menos.
Nessas regiões, na porta dos restaurantes há garçons convidando a entrar. Tenha certeza, eles sabem que você é turista e que dificilmente vai voltar, por isso não servem uma comida tão farta ou tão gostosa.

Valores? Nossa média de gastos no almoço foi entre 10 e 15 euros. Na janta, de 15 a 20 euros, com raríssmas exceções, como a paella imperdível que comemos em Barcelona e que você também vai ter que comer.
Dá pra gastar menos? Opa, dá sim. É só procurar um pouquinho mais e não beber vinho, porque a gente derrubava uma garrafa toda janta. O que dá pra fazer também (e eu fazia) é comer kebab no almoço, que tem muito na Europa e são bem baratos. Coisa de 4 a 6 euros. E sustenta.

Se tratando de alimentação em geral, em algumas cidades você gasta menos, como Barcelona e Londres. Mas, em Paris a comida é mais cara e nem é tudo isso de boa. Não curti muito. Às vezes ficava no kebab mesmo. Que aliás, me deixava alimentado à vera!

O ideal é tomar um belo café da manhã no albergue pra dar aquela energia na caminhada.
Se você for se hospedar em albergues, que nem a gente, procure os que têm cozinha, pois o segredo da economia é comprar as coisas no mercado e fazer o rango você mesmo. Economiza muito, você nem imagina. Isso ajuda não só no almoço e janta, mas também no café da manhã. Se o albergue não servir o café, mas tiver cozinha, não pense duas vezes em fazer o desjejum com as coisas que você comprar no mercado.

O bom na Europa é que todos os restaurantes têm na porta o cardápio com os preços. Assim, você pode avaliar os valores antes de entrar e, se achar caro, procurar um lugar mais em conta pra comer.
Reparei que nos bairros ou regiões menos badaladas as refeições são mais baratas e mais bem feitas, além de haver um atendimento melhor.

Na Europa a galera tem a cultura de comer dois pratos. O primeiro e o segundo, como você verá nos cardápios. Pra nós brazucas, em alguns casos, ir direto pro segundo caso já resolve.
Na Itália, às vezes a massa que servem como primeiro prato já sustentam. Depende do restaurante.
Como a crise pegou de jeito a Europa, em alguns restaurantes você vai encontrar o prato único, que nem aqui no nosso velho Brasa.

Na dúvida? Corre pro Mc Donald's. Você já sabe o que vai comer e vai gastar pouco. No máximo 10 euros. Na Europa tem muito fast food, o que pode te ajudar na hora da dúvida.

Dicas nas cidades:

Roma
Coma massas e tome sorvete (gelatto). São uma delícia.
Sorvete italiano. O da direita é morango. Parece morango espremido. Muito bom.

Não aconselho pizzas. São secas, com massa grossa, pouca cobertura. Ah, e são quadradas, feitas em tábuas. 
Abuse dos vinhos. São bons e baratos. Mas, lembre-se da economia, mochileiro! Vinho só na janta! Se for beber sozinho, peça apenas uma taça. Pra gastar pouco mesmo, peça o vinho da casa, que todo restaurante tem e também são gostosos.

Não deixe de beber o chocolate quente no café da manhã ou no meio do passeio à tarde. São bem espessos, uma delícia. Dão bastante energia. O café italiano também é muito bom.

Tem um restaurante bom e num preço legal perto do albergue que ficamos. Chama-se Mamma Angela's Trattoria, na via Palestro, 53. Lá você vai ver nas mesas muita galera, pois a região é cheia de albergues e hotéis. Lugar bom pra jantar com vinho, pois têm uma variedade legal por um bom preço. Atendimento 10!

Florença
Fiquei só um dia nessa cidade. Tomei café da manhã no albergue.
Almocei num restaurante bem simples, mas com uma comida deliciosa, barata e com um atendimento nota 10! O tiozão que atendia era muito brother e teve toda paciência para nos entender e explicar os pratos que tinha. Uma das pessoas mais memoráveis da viagem. Comemos uma comida bem feita por um preço baixo. Me perdoem, mas não lembro o nome. 
Só lembro que fica na Via Camillo Benso Cavour, bem ao lado do Palazzo Medici Riccardi, a uma quadra da Piazza del Duomo. É uma porta que você entra e já dá de frente com um balcão de vidro com frios, legumes e pernil. Lugar pequeno e aconchegante. Devemos ter gasto uns 12 euros cada um, com vinho da casa.

Na janta comemos num restaurante um pouquinho mais caro, mas mesmo assim dentro do orçamento de no máximo 20 euros por pessoa. Melhor rango que comemos na Europa. Nome do pico? Spaghetteria De Peccatori, na Piazza di San Firenze,14.
Ranguinho maravilhoso da Spaghetteria De Peccatori

Barcelona
Cidade boa pra comer. Às vezes eu me lembrava das comidas do Brasil. Vendem uns pratos feitos bem simples com batata frita, salada e mais uma mistura, que era bife, ou bacon, frango, peixe, calamares e outras coisas. Coisa de 6 euros, 8 euros o prato. E muito bem feita a comida.
Essa cidade é o lugar pra comer frutos do mar.
As famosas tapas! São porções e você pode pedir variadas.  Fim de tarde pedir tapas e cerveja é uma boa. Aliás, diz meu amigo Raphael, que o costume do brasileiro de comer porções bebendo cerveja é copiado de lá. Faz sentido.

Não deixe de comer a paella, hein?! Eu vi uma sugestão num blog brasileiro pra ir comer no Envalira. Não curti. Muito arroz (saboroso), mas pouco fruto do mar. Só um berbigãozinho perdido, um camarãozinho solitário e magro. Não recomendo.
O brother do albergue recomendou uma paella no bairro Barceloneta, que é o bairro da praia. Véio, que paella boa! Nome e endereço?  Can Ramonet - Calle Maquinista, 17, a três quadras da estação Barceloneta. Casinha rústica, toda apertada, com umas tapas na recepção. Preço? 17,50 euros por pessoa. Pegamos uma garrafa de vinho branco por 12 euros e era muito bom. Esse foi o nosso jantar mais caro em toda viagem. Mas, valeu a pena. Paella sem miséria, cheia de frutos, arroz bem temperado. Vai lá e depois me fala.


A paella do Can Ramonet

Em um dia do seu roteiro, acorde, tome um café da manhã bem simples e vá ao Mercado Sant Josep, que fica nas Ramblas. Separe uma graninha e coma tudo que é guloseima que ver pela frente. Doces, salgados, frutas, espetinhos.
Meu irmão na barraca de guloseimas

Tem umas barracas com uns copos de morangos gigantes por 2 euros. Lavados, sem a planta, com garfo, pronto pra comer. Tem de outras frutas também.

Lá vende também uns cones de papel com pedacinhos de presunto por 2 euros. Mas, é o presunto espanhol, né meu amigo?! O verdadeiro jamón. Prefira o Jamon Pata Negra, o melhor. Passeio imperdível. A ser feito com fome e sem escrúpulos.



Londres
Você vai gastar pouco pra comer.
Fish and Chips é o que você tem que comer. Pode ser que você veja Cod (bacalhau) and Chips.É o prato tradicional e tem um preço bem popular. 5 a 7 libras. O que vem? Filé de bacalhau empanado, batatas fritas e ervilhas. Eu comia no almoço e na janta! Vem com molhos pra colocar no peixe. Uma delícia!

que saudade

Meu brother Raphael quando morava em Londres gostava muito de um que fica na Waterloo Rd, 191. Chama-se Super Fish. Realmente é bom mesmo. Batatas mais grossas, bem tradicional.
fish and chips do Super Fish

Ficamos hospedados num albergue em Hammersmith e na frente da estação tem o Charcoall Grill que além do Fish and Chips serve outras opções junto com batatas, salada e molhos. Fartura e preço baixo. Galera gente fina atendendo e te dando dicas do que comer e com qual molho comer.
kebab do Charcoall Grill. Tudo vem com uma sortida salada

Na calçada da London Eye, colado no Sea Life tem uma biboquinha que vende uns potes de morango gigante com chocolate. 5 libras. É caro, eu sei. Mas, brother, é bom demais! Imperdível!

Paris
Não tenho muito o que falar. Não gostei muito da comida, do leite azedo e aguado.
Comia kebab e almocei McDonald's nos cinco dias. Na janta comia num restaurante perto da estação Anvers um bife de contra-filé com fritas. Era gostoso, sim.
Teve um dia que pedi um frango pra fugir da carne vermelha. Me arrependi.
No café da manhã ou à tarde, coma croque monsieur. Pense num pão de forma em que o queijo vai enrolado do lado de fora. Daí é gratinado e servido quente. Gostoso, hein?!
O bom mesmo em Paris é o vinho. Abuse.


Lanche de baguete no Mc Donald's parisiense

Praga
A comida tradicional aqui é o goulash, que consiste em batatas e carne ensopada. Bem parecido com o da culinária mineira. A diferença é o molho que, pelo que me parece, vai vinho. Gostoso.
o velho goulash de Praga

Nessa cidade, você vai comer carne de porco de qualidade, salsichas, linguiças, pernis. Dica: almoce nas barracas da Staromestke namesti. Os pernis ficam assando na brasa e vendem com uma farofa de batata, uma salsicha temperada. Muito bom.
é disso que eu tô falando

Em Praga, a cerveja é mais barata que água. Verifique e aproveite!
Cerveja deliciosa, pois eles que inventaram a cerveja pilsen. Beber cerveja é muito comum, cultural na refeição.
Na Prikope, no meio do calçadão, tem uma banca que vende um kebab muito bom. O tiozão é gente fina e a banca é bem limpinha. Kebab no capricho.
Nessa mesma rua, saindo da Namesty Republik e seguindo pela Na Prikope, do lado direito tem uma padaria que serve um chocolate quente muito bom. O melhor que tomamos na Europa. O senhor que atende no balcão aparenta ser o dono e é muito divertido. Fala bem do Brasil e dos nossos tenistas. Incrível, né?
pãozinho com creme doce. Servido como sobremesa

Berlim
Tem bastante kebab, carne de porco e cerveja da boa.
Na esquina da Rosenthaler com a Torstrabe tem um kebab muito bom. Com uma garrafinha de coca daquelas de vidro fica animal!

Nessa cidade não fui muito aos pratos tradicionais.
Na real? Eu almoçava lanche e jantava num restaurante italiano perto do albergue.
Lanche de salsicha no Mc Donald's de Berlim