segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

domingo, 21 de dezembro de 2014

Tour da Segunda Guerra Mundial

TOUR DA 2ª GUERRA MUNDIAL


1.240 Euros
Nesse valor: passagens SP-Paris-SP, passagens dentro da Europa e hospedagem.
Paris - Londres - Berlim - Varsóvia e Cracóvia (Auschwitz)
(valores cotados em 06/12/2014)

Nesse tour você poderá conhecer:

VARSÓVIA
- Gueto de Varsóvia, foi retratado no filme O Pianista, local onde os judeus foram confinados antes de serem enviados aos campos de concentração

CRACÓVIA
- Auschwitz e Birkenau, maior campo de concentração feito pelos nazistas, local onde muitos foram levados às câmaras de gás. Esse é o campo retratado no filme A Lista de Schindler, com seu famoso portal que recebia trens carregados de judeus. Lá se vê dos mais variados artigos pessoais e como era a vida de quem estava lá.

PARIS
- Champs Elysées, avenida onde os nazistas marcharam ao tomar a cidade e na qual os americanos fizeram o mesmo, após o Dia D, libertando a capital francesa
- Trocadero, mirante em frente à Torre Eiffel, onde Hitler tirou a famosa foto ao ocupar a cidade
- Palácio de Luxemburgo, que serviu de quartel general das forças aéreas nazistas durante a ocupação e residência de Göring, comandante da Luftwaffe
- Palácio de Versailles, local onde na Sala dos Cristais foi feito o Tratado de Versailles dando fim à 1º Guerra Mundial. Também em Versailles Hitler fez a França assinar sua rendição à Alemanha.
- Estátuas de Winston Churchill e Charles de Gaulle, heróis da libertação francesa

LONDRES
- Estações de metrô onde os londrinos dormiam no período em que os alemães bombardeavam a cidade sistematicament
e
- Salas de Guerra de Churchill, bunker secreto onde o primeiro-ministro viveu e comandou a guerra juntamente com o alto comando do exército durante os anos do conflito. Os utensílios domésticos, mapas, mesas, salas de reunião, jarras e camas permanecem do jeito que foram deixados quando a Guerra terminou.
- Hyde Park War Memorial, praça com diversas homenagens aos que combateram nas guerras pela Grã-Bretanha

BERLIM
- Reichstag, parlamento onde Hitler ascendeu ao poder e onde no alto foi tirada a famosa foto de um soldado russo fincando a bandeira soviética após invadirem a cidade
- Memorial do Holocausto, monumento imenso em homenagem aos mortos nos campos de concentração
- Museu do Holocausto, onde há cartas escritas dentro dos campos de concentração de crianças para os pais e vice-versa, além de um acervo muito interessante
- Muro de Berlim, que dividiu a Alemanha e colocou o mundo na Guerra Fria. Boa parte do muro permanece intacta para observação. Fora isso, por onde ele passava, há as marcas indicativas no chão.
- DDR Museum, mostra como era a vida dos alemães que viviam no lado soviético da Alemanha, de coisas simples de casa até aspectos militares e esportivos.
- Sachsenhausen, campo de concentração ao norte da cidade, onde se vê muro de fuzilamento, incineradores, alojamentos e local para experimentos médicos.

Lembrando que Varsóvia e Cracóvia ficam na Polônia, cuja invasão pela Alemanha foi o fato que iniciou a 2ª Guerra Mundial.
Interessou
Envie e-mail para europagastandopouco@gmail.com

sábado, 13 de dezembro de 2014

Oito cidades e muita história pra contar

Londres, Paris, Roma, Florença, Pisa, Barcelona, Bruxelas e Bruges por 1.330 euros incluindo passagem saindo e voltando por Guarulhos, hospedagem e passagens dentro da Europa.

Interessou?
Deixe um comentário ou mande e-mail para europagastandopouco@gmail.com.
Valores calculados em dezembro de 2014.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Tá! E pra lavar roupa?!


Depois de ler as informações do blog de como se agasalhar bem carregando uma mala pequena e ainda por cima economizar em tudo que for possível, você com certeza está se perguntando: "Tá! E pra lavar roupa?!"

Quando montar seu roteiro, faça uma agenda determinando os dias em que você vai lavar seus panos. Faça isso de preferência à noite após o passeio. As lavanderias costumam encerrar às 22h. Você vai gastar entre uma hora e meia e duas horas pra fazer todo o processo de lavar e secar.

Na Europa a maioria das lavanderias são automáticas. Não há atendentes. Isso mesmo, você e as máquinas. Você mesmo pilota as máquinas de lavar e secar. Num primeiro momento ao se deparar nessa situação você pode entrar em desespero ou na melhor das hipóteses ficar olhando pras máquinas e rir feito um babaca sem saber o que fazer, como aconteceu comigo e meu irmão.

Abaixo, entrada de duas lavanderias pra vc ter uma ideia de como é a fachada. Coisa simples, nada demais:



Tenha em mente uma coisa: cada máquina tem um número e é ativada somente depois de você inserir crédito para ela na máquina de pagamentos.
 As de secar são têm a porta maior

Chegando na lavanderia localize a máquina de pagamento, a de lavar, a de secar e a que vende sabão e amaciante. No geral, as de lavar estão nas laterais, as de secar no fundo e a de pagamento na entrada.
Você vai notar que todas têm número, menos a de pagamento.


Abaixo você vai ver exemplos de máquinas de pagamentos. É essa máquina que vai nortear todo seu processo de lavagem e secagem de roupa.

 
Ok, mãos à obra! Escolha uma máquina de lavar conforme o peso (sim, tem de vários tamanhos). Coloque sua roupa dentro e memorize o número dela.
Vá na máquina de sabão e amaciante. Guarde o número de cada produto.
Exemplo de máquina de sabão e amaciante

Beleza. Vá até a máquina de pagamento, digite o número do sabão e veja o valor ser cobrado no visor. Insira as moedas e note que o pacotinho de sabão vai ser dispensado lá na máquina dele. Repita o processo para o amaciante (eu nem sabia o que era isso na minha viagem 2ª classe).
Se quiser, compre no supermercado. Há sabão em quadradinhos específicos para esse tipo de lavadoras e também líquido.
Importante: lá o sabão não faz espuma. Quem enxerga espuma como sinônimo de limpeza somos nós brasileiros. E lá, a tampa da máquina de lavar é na frente. Se fizer espuma, imagina.
Não vai tuchar a máquina de sabão até espumar, que isso não vai acontecer. Apenas suas roupas vão ficar duras e amarelas.
Sim. Eu e meu irmão pagamos esse mico em Londres. Derramamos um monte de sabão no compartimento e xingando a qualidade do produto.

Vai lá onde você colocou suas roupas, e coloque o sabão e amaciante nos seus respectivos compartimentos.
A máquina indica o nível de sabão e amaciante

Agora, volte à máquina de pagamento, digite o número da lavadora, veja o valor no visor e coloque as moedas. Eis que uma mágica acontece nesse exato momento: a lavadora começa a lavar sua roupa!
Aí é o seguinte, brother, mochileiro tem que otimizar ao máximo o tempo. A máquina mostra o tempo restante do ciclo. 
Enquanto a roupa lavava, nós íamos comer. Nunca roubaram nossas roupas, mas não aconselho arriscar. Teve vezes que buscamos um lanche e comemos na lavanderia mesmo.
Tem banco de espera

Muitas lavanderias têm cestos desse naipe pra te ajudar a transportar a roupa para a secadora

Secando. Pegue sua roupa ao final do ciclo de lavagem, jogue na secadora. Veja o número dela, vá na máquina de pagamentos e faça o que você já tá sabendo. Cada crédito faz a secadora funcionar 10 minutos. Não são suficientes. Você vai precisar de 20 ou 30 minutos. Dobre logo que terminar, pois não vai precisar passar.

Alguns albergues oferecem a lavanderia própria que funciona na mesma ideia das encontradas na rua.
Neles, as máquinas funcionam com fichas e os caras vendem as barrinhas de sabão.
Outros albergues cobram um valor pra lavar um cesto de roupa. Você entrega e eles te devolvem depois.



Aproveite o tempo que estiver na lavanderia para se divertir e entrar um pouco na vida cotidiana local. É desse tipo de coisa que você mais vai lembrar da sua viagem. Veja os tipões que chegam pra lavar roupa, as donas de casa que ficam fazendo crochê, lendo revista ou brigando com o marido ao celular. Faça amizade, peça dicas de lugares bons e baratos pra comer.

E um bom Momento Amélia pra você!

sábado, 18 de janeiro de 2014

Dicas de segurança

Galera, a Europa é um continente maravilhoso, com belas coisas a se ver e com grande variedade de culturas. Mas, é sempre bom estar alerta para a segurança.
Os países são bem mais seguros que o Brasil, pode ter certeza. Você pode ter tranquilidade ao andar pelas ruas, metrôs, trens e ônibus.
Mesmo assim, sempre tem algum espertinho querendo lograr alguém. Sempre tem um pronto pra dar golpe, principalmente nas áreas turísticas, pois aproveitam o clima de alegria, descontração e receptividade das pessoas.

Um tipo de golpe generalizado e que acontece em diversas cidades é o da lista. Quase sempre é praticado por meninas. Elas andam com pranchetas, e nessas há listas com nomes de pessoas que ajudam com dinheiro. Ajudam os cegos, os deficientes físicos, os drogados, etc, etc, etc... Elas andam em bando e são insistentes, ficando até nervosinhas quando você se recusa a ouvir ou "ajudar".
Catedral de Berlim. Nessa praça ficam umas meninas com a prancheta

Acontece também numa modalidade mais aprimorada em que montam mesinhas nas praças, enquanto alguém fica em pé tentando levar as pessoas a assinar. Uma vez assinando, vão exigir dinheiro.
Igreja Santa Maria degli Angeli na Piazza della Republica, em Roma. Mesinhas com gente arrecadando dinheiro para os viciados em drogas

O melhor remédio é praticar uma falta de educação quando vierem falar com você, Acredite, esse é mesmo o melhor remédio.

Chamo atenção maior para Paris que é a cidade onde mais vimos gente querendo passar uma rasteira nos turistas. Os lugares que mais têm espertinhos é a Torre Eiffel e a Sacre Coeur.

Na Torre Eiffel, não embaixo dela, mas na ponte em frente que leva ao Trocadero e nesse monumento, ficam uns caras do norte da África vendendo réplicas da Torre em diversos tamanhos. São muito insistentes, chatos e te seguem até você comprar. A dica aqui é nem olhar pra eles e passar batido. Eles detectam sua nacionalidade só de ouvir uma pequena frase sua. É incrível. Quando detectam sua nacionalidade, começam a falar com mais insistência ainda.
Trocadero, ótimo lugar para ver a Torre acender as luzes. Entre as duas atrações ficam os vendedores de réplica mega chatos e insistentes

Na Sacre Coeur a coisa é um pouco mais séria e exige sua dedicação na falta de educação. e grosseria. Na rua de ligação e na escadaria ficam os africanos aplicando o golpe do anel. Novamente, passe direto, calado e sem olhar pra eles. Tudo que querem é sua atenção pra começarem a vender o peixe deles. 
Como funciona: chegam colocando um anel na mão do turista dizendo que acharam no chão, que é um anel muito bonito e combina com você. Falam que é um presente, mas por ser um anel tão bonito, eles merecem um dinheiro de recompensa. Uma vez que você deixa eles colocarem o anel no seu dedo, já era!!! Outros golpistas vão chegar na conversa e ajudar a extorquir.
Quando fomos lá, eu já sabia dessa safadeza. Ao entrarmos na rua veio um cara tentando colocar o anel na mão da minha mulher. Não pensei duas vezes e empurrei o cara e continuamos andando. Mais à frente outro cara veio puxando assunto e perguntando de onde éramos (começam a falar o nome de vários países esperando você afirmar). Eu só olhei bem feio pra cara dele e ele saiu fora. E aconselho a fazerem o mesmo. Tem que ser grosso, senão vão encher o seu saco.
Sacre Coeur, em Paris. Golpe do anel na cara larga

Meu caro amigo Saulo, que já mochilou pela Europa, contou de um outro golpe que acontece na Sacre Coeur. Os caras chegam na mesma abordagem repentina, já pegam o braço do turista e vão enrolando uma pulseira e contando um história pra boi dormir, dizendo que é uma pulseira ornamental tradicional da África que serve como prova de boas-vindas.  Como nada é de graça, eles pedem uma "contribuição" e mencionam que pode ser qualquer valor, mas, "o último turista deu 25 euros".

Indo de Florença pra Pisa, pegamos um trem regional que é mais simples e para em várias estações. Numa delas, entraram duas meninas entregando bilhetes iguaizinhos aos que vemos nos ônibus e trens do Brasil, pedindo ajuda para levar comida aos irmãos, escrito em italiano e inglês!. As duas com aquela cara de fuma pedra que brasileiro conhece muito bem. Chegamos a Pisa, fizemos nosso passeio e antes de pegarmos o trem pra Roma, vimos as duas na área de alimentação da estação, manjando cada uma das pessoas, olhando as bolsas, só esperando alguém vacilar.
O bilhetinho entregue no trem de Pisa. Texto globalizado

Brasileiro tem mais facilidade de lidar com essas coisas, pois conhece muito bem a malandragem. Quem mora nas nossas grandes cidades, sabe muito bem identificar quem é safado, quem quer dar uma rasteira e quem realmente tá com fome.

Ah, não posso deixar de falar uma coisa. Próximo às igrejas, principalmente em Roma, ficam senhoras choramingando, ajoelhadas e pedindo dinheiro. Sempre achei aquilo muito forçado e artificial, feito de uma forma pra que os turistas sintam muita dó. Tá com dó? Pergunte a elas se querem um lanche pra matar a fome. Daí você vai ver qual é a real.
Catedral de Barcelona: ali tem umas senhoras pedindo esmola de uma maneira bem chorosa

Em Praga, principalmente na Staromestske Namesti ficam uns caras fazendo câmbio negro, oferecendo troca de moeda a um preço atrativo. Cuidado! No meio das notas de coroas tchecas eles misturam as de outros países do leste europeu cujos valores são menores. Esteja bem ligado. Nós fomos conversar com um deles só pra ver ele tentando dobrar a gente. De fato, no meio do bolo tinha nota da Bulgária que tem notas bem parecidas com a coroa tcheca.
Staromestske Namesti em Praga

Deixo bem claro, tudo que está relatado acima não é motivo para deixar de visitar alguma das atrações ou cidades. Você tem que visitar sim. São todos lugares fantásticos. Mas, não pode dar bola pro pessoal que falei.
O importante ,é seguir o que sua mãe falava na infância: não fale com estranhos. Se vierem te abordar na rua, passe direto e siga seu passeio de boa. Aproveite cada uma das cidades, atrações e tire muitas fotos para relembrar esse momentos que ficam gravados na alma da gente e que nos fazem abrir sorriso quando lembramos.

Deixo claro também que por muitas vezes andamos à noite pelas ruas vazias ou cheias e em nenhum momento nos sentimos inseguros ou com medo. Andávamos de metrô até mesmo de madrugada e temos apenas boas recordações de ver a galera bêbada dando vexame.
O respeito ao próximo é bem presente na Europa, tenha certeza.